CONVERSAS

Conversa

Médico revela paixão por geriatria e principais cuidados com idosos

O médico Vagner Cleber Chiapetti (CRM 106289) define sua trajetória na geriatria como uma paixão. Ele mudou sua carreira profissional até encontrar na especialidade um dos seus objetivos de vida: cuidar de pessoas! Nesta edição, ele comenta sobre os principais cuidados com os idosos e seu sonho para Barretos.
 
TdB: Quem deve procurar um geriatra e em que idade?
Vagner Chiapetti: A geriatria faz parte da prevenção e do tratamento de doenças relacionadas à terceira idade. Cada vez mais, temos que ter acesso ao médico geriatra em idade precoce. Atualmente a indicação é que a mulher procure o profissional quando acontecerem as primeiras alterações hormonais no início da menopausa para começar o preventivo e envelhecer bem e o homem geralmente aos 55 e 60 anos com check up de rotinas, portanto um pouco após as mulheres.
 
TdB: Como define a geriatria?
Vagner Chiapetti: A geriatria é uma paixão. Eu me descobri geriatra na segunda especialidade e me vi apaixonado por tratar idosos e conduzir essa parcela da população que precisa de muito apoio e cuidado. Realmente tenho que fazer com atenção, mas principalmente usando de empatia e amor.
 
TdB: Quais as principais doenças que hoje acometem os idosos?
Vagner Chiapetti: As principais são as crônico degenerativas como: diabetes, hipertensão, artrose, artrite, colesterol e triglicérides. Elas podem ser iniciadas a partir dos 50 anos ou serem carregadas com o passar dos anos. O grande problema do Brasil é que os diagnósticos são tardios principalmente no homem que não faz a visita ao médico regularmente. A mulher passa a vida indo ao médico como os ginecologistas que fazem o preventivo ou mesmo acompanhando o filho ao pediatra. O homem tem tendência de ficar mais distante do médico.
 
TdB: Como os filhos podem orientar os pais sobre o geriatra?
Vagner Chiapetti: Os pais levam os filhos ao pediatra e no geriatra os filhos que acompanham os pais. Em boa parte dos meus consultórios tenho a presença dos filhos, amigos ou cuidadores, principalmente acompanhando pessoas na quarta idade acima de 85 anos. É importante aquela conversa em casa, durante o almoço de família falar sobre o geriatra que é um generalista que saberá solicitar os exames que devem ser feitos em cada fase. O geriatra se torna o médico da família gerenciando a vida do idoso pela confiança o que faz isto ser muito gratificante.
 
TdB: Como funciona o laboratório do idoso em Barretos?
Vagner Chiapetti: Está localizado na Avenida 25 entre Ruas 30 e 32, atende 100% SUS e pode ser referenciado com atendimento vindo das Unidades de Saúde ou o próprio paciente pode ir diretamente e fazer sua inscrição. Existe uma demanda alta, temos fila de espera que é natural, que só será resolvida quando contratarmos outro geriatra. Hoje trabalho sozinho e tenho ajuda do clínico Dr. Márcio Pimenta.
 
TdB: Qual o seu sonho como geriatra e vice-prefeito para qualidade de vida dos idosos?
Vagner Chiapetti: O sonho é que tivéssemos um número bem maior de geriatra e que fossem inseridos nas grandes Unidades de Saúde, para que todo idoso tivesse condição de ir ao médico e aquele que não tivesse condição de ir até o médico que recebesse a visitas do geriatra em casa para aconselhamento. Doenças crônico degenerativas bem tratadas e bem conduzidas trazem economia para família e para o Estado evitando doenças graves como infartos e derrames. 
 
Voltar

EDIÇÕES ANTERIORES

O seu navegador não é recomendado para uma boa navegação neste site.
Para uma melhor visualização do site atualize-o ou escolha outro navegador.
Saiba mais...
Google ChromeMozilla FirefoxOpera